Feb 17, 2020 Last Updated 3:45 PM, Feb 17, 2020
×

Avviso

There was a problem rendering your image gallery. Please make sure that the folder you are using in the Simple Image Gallery Pro plugin tags exists and contains valid image files. The plugin could not locate the folder: media/k2/galleries/1562

“A missão é de Deus”, afirma cardeal filipino, Luís Tagle

Pubblicato in XIII Capitolo Generale
Letto 1674 volte
Vota questo articolo
(0 Voti)

Cardeal presidente da Caritas Internacional reflete sobre a vida e a missão dos Apóstolos Paulo e Barnabé.

Os missionários da Consolata participantes do XIII Capítulo Geral que acontece em Roma, receberam na manhã desta terça-feira, 23, o cardeal filipino, dom Luís Antônio G. Tagle, presidente da Caritas Internacional, para uma jornada de reflexão teológica e missionária sobre os Apóstolos Paulo e Barnabé.

Ordenado bispo em 2001 e criado cardeal em 2012, pelo papa Bento XVI, Tagle é um dos mais importantes teólogos da Ásia, autor de livros como: “Gente de Páscoa”, “Recontar Jesus” e “Aprendi dos últimos”.

“Sinto-me em família”, disse o bispo ao saudar a assembleia capitular composta de 45 missionários representante de 18 regiões do Instituto Missões Consolata na Europa, África, América e Ásia.

dsc 0013 1[1]

Diante das profundas e rápidas mudanças do mundo globalizado, o presidente da Caritas Internacional defende uma contínua reflexão sobre a missão evangelizadora da Igreja. “Quando se ouve falar dos 65 milhões de refugiados em todo o mundo, dos 20 milhões de pessoas que devido à seca em algumas partes da África, sofrendo fome, consequência das guerras, o crescente ódio contra os estrangeiros e o mau uso da religião, somente para citar alguns, não podemos esperar que a Igreja e sua missão continue sendo o mesmo ‘negócio’ de sempre”.

Segundo o cardeal, “a Nova Evangelização é urgente e exige novo ardor, novos métodos e novas expressões”. Nesse sentido, destacou os impulsos missionários vindos do Papa Francisco com o seu apelo por “uma Igreja em saída para as periferias existenciais”. Contudo, pediu que as expressões do Papa não se transformem apenas em slogan ou fórmulas repetidas constantemente, mas que é preciso “trazê-las para a reflexão teológica concreta nas diferentes experiências de missão”.

dsc 0010[1]Sobre Paulo e Barnabé, apóstolos inspiradores do XIII Capítulo Geral em curso, cardeal Tagle sublinhou a “sua sabedoria missionária”. Para isso citou “dez princípios missionários de Paulo”, segundo o missiólogo padre James Kroeger, missionário Maryknoll (Bíblia hoje 2009). 1) uma profunda consciência da vocação: a missão tem sua origem no chamado de Deus; 2) empenho radical por Cristo: a missão supõe uma vida totalmente centrada em Cristo; 3) aceitação voluntária do sofrimento: a vulnerabilidade e a aceitação da cruz dá autenticidade à missão; 4) métodologia missionária: a missão exige criatividade, inculturação e novas abordagens; 5) urgente anúncio do Evangelho: a missão não perdeu sua urgência no mundo contemporâneo; 6) um profundo amor pela Igreja: a missão e o amor das pessoas que constituem a Igreja andam de mãos dadas; 7) uma estreita cooperação entre os seus membros: todo o ministério apostólico é reforçado pelos esforços colaborativos; 8) compromisso de transformar a sociedade: a mensagem do Evangelho, a dignidade humana e a igualdade, se abraçaram levando à transformação social; 9) estilo de vida eficaz e exemplar: o testemunho de vida é a primeira e, muitas vezes, o anúncio mais eficaz do Evangelho; 10) o abandono total na providência de Deus: a missão permanece sempre plano de Deus e os evangelizadores devem ser humildes instrumentos cheio de fé em Deus”.

Esta síntese do padre Kroeger “nos permite concentrar em alguns aspectos específicos da sabedoria missionária de Paulo e Barnabé, e poderia contribuir para uma Igreja em saída hoje”.

Oração, jejum, comunidade e organização

Os apóstolos Paulo e Barnabé, realizaram a missão de Deus com a prática da oração e do jejum. Com esses princípios fundaram e formaram comunidades. “Precisamos de oração e jejum. A verdadeira oração comunitária e o jejum tornam possível a organização da comunidade e a missão de ser inspirado e dirigidos pelo Espírito Santo”.

dsc 0065 1024x507[1]

Citando a amizade entre Paulo e Barnabé, o cardeal de Manila destacou, a necessidade de “reconhecermos a força e a fragilidade das relações, sem porém, destruir a Missão”.

Ao comentar a separação entre Paulo e Barnabé, o bispo observou que o livro dos Atos dos Apóstolos reconhece “a fragilidade da comunhão” entre os dois apóstolos, mas também “mostra que a separação por qualquer motivo não deve destruir a missão comum. Embora o trabalho seja feito separadamente, é o mesmo trabalho. Nós aprendemos que a comunhão significa preservar o que temos em comum e não permitir que as diferenças pessoais arruínem o compromisso com os objetivos comuns”. Os dois apóstolos sabiam que a pregação “da Palavra de Deus deveria continuar, mesmo que de maneiras diferentes”, sublinhou dom Tagle.

Discernir as formas surpreendentes do Espírito

“Barnabé e Paulo experimentam o Espírito dizendo ‘não’ a seus planos pessoais”. Essa atitude os levou a acolher “o ‘sim’ do Espírito”.

Em sua reflexão, o cardeal de Manila alertou: “É difícil aceitar um ‘não’ de Deus. Mas é a maneira de nos lembrar que a missão é de Deus e não nossa. Os missionários precisam leveza de coração, saudável senso de humor, uma santa liberdade ou a ‘indiferença’ os fará aceitar pacificamente as portas fechadas. Não podemos nos agarrar em nossas ideias e projetos como se fosse o único caminho disponível”.

dsc 0024 1024x678[1]Diante das “portas fechadas”, cardeal Tagle pede para não ficarmos “com raiva ou amargos”. Em vez disso, “devemos nos sentir impelidos a experimentar as portas que o Espírito deseja abrir para nós. A Igreja em saída está pronto a experimentar portas, telhados e estradas que o Espírito nos oferece, mas que ignoramos por estarmos fixos em nossa maneira de ver as coisas. Isso requer uma espiritualidade missionário de humildade que continua a se surpreender com o que Deus está fazendo”.

“A missão é um ato de fé na presença permanente do Senhor ressuscitado”. Esta fé cura o orgulho que destrói a missão e os missionários. “A fé no Ressuscitado salva e guia a missão”, concluiu citando o seu lema episcopal: Dominus est (É o Senhor).

Com elevado senso de humor, o cardeal respondeu à vários questionamentos da assembleia insistindo na “leveza pessoal e institucional”, condição básica para torar possível “uma Igreja ou uma congregação em saída missionária”.

A participação do cardeal Tagle incluiu a celebração Eucarística e concluiu com o jantar.

A programação do XIII Capítulo Geral do IMC que começou em 22 de maio, se estende até o dia 20 de junho, na celebração da Festa de Nossa Senhora Consolata, a Padroeira da Congregação.

Ultima modifica il Mercoledì, 24 Maggio 2017 22:24

Galleria immagini

{gallery}1562{/gallery}
Devi effettuare il login per inviare commenti

Recenti

Abusi: come la Chiesa aiuta le vittime

Abusi: come la Chiesa aiuta le…

17 Feb 2020 Finestra sul Mondo

La decisione del Papa: nel 2022 ci sarà il prossimo Sinodo dei Vescovi

La decisione del Papa: nel 202…

17 Feb 2020 Finestra sul Mondo

Querida Amazonia. Giovenale: il Papa ci ha dato "autostrade" da far vivere

Querida Amazonia. Giovenale: i…

17 Feb 2020 Missione Oggi

20 febbraio: Giornata Mondiale della Giustizia Sociale

20 febbraio: Giornata Mondiale…

17 Feb 2020 Preghiere Missionarie

VII Domenica – T. O. - Anno A

VII Domenica – T. O. - Anno …

17 Feb 2020 Domenica Missionaria

Gracias Beato José Allamano

Gracias Beato José Allamano

16 Feb 2020 I Nostri Missionari Dicono

Beato Allamano: operoso nel silenzio, gioioso nell’azione

Beato Allamano: operoso nel si…

16 Feb 2020 I Nostri Missionari Dicono

Consolation starts at home: Continental Council of Africa, Kinshasa February 2020

Consolation starts at home: Co…

14 Feb 2020 I Nostri Missionari Dicono

Querida Amazonia, l’Esortazione del Papa per una Chiesa dal volto amazzonico

Querida Amazonia, l’Esortazi…

12 Feb 2020 Finestra sul Mondo

Incontro Cei su Mediterraneo. Mons. Rossolatos (Grecia): “Osare la pace con la forza della debolezza”

Incontro Cei su Mediterraneo. …

12 Feb 2020 Finestra sul Mondo