Categoria: I Nostri Dicono
Visite: 743 volte

Homilia de D. Francisco na Abertura da Extensão de Gurúè da Universidade Católica de Moçambique

O POR QUE DA PRESENÇA DA UCM NA DIOCESE DE GURÚÈ?

A igreja Católica em Moçambique e em e todo o mundo, desde a primeira hora tem estado empenhada não somente na proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, mas também na proclamação do desenvolvimento integral e da reconciliação de todos os homens, incluindo as novas gerações e das culturas de ada um dos Países onde ela está presente e actua. (CEM).

A Igreja mostrou sempre grande interesse pelas escolas, tanto de grau inferior como superior, porque nelas se vai abrindo a mente das pessoas e se educa eficazmente o seu espírito. Nelas o aluno tem a possibilidade de adquirir não só a cultura e a formação humana, mas também o espírito do Evangelho. (Gravissimum Educationis)

Uma das preocupações principais da Igreja tem sido a formação, a todos os níveis, de profissionais competentes e comprometidos com o bem comum.

Na educação está a chave do futuro das sociedades humanas.

A Igreja reconhece a necessidade imperiosa de se servir da educação para orientar os homens de hoje na construção do Reino de Deus.

É nobilíssima a tarefa de educar as novas gerações, exige mesmo uma simbiose com a largueza de vistas e o espírito de criatividade de cada educador.

O Concílio recomenda vivamente que sejam instituídas Universidades e faculdades Católicas convenientemente distribuídas pelas diversas partes do mundo. Importa que elas se imponham não tanto pelo número, mas sobretudo pelo seu valor científico.

Importa igualmente que  o acesso às mesmas se torne mais fácil para os alunos que  ofereçam  maiores  esperanças, embora de menos recursos económicos.

A  Igreja e o ensino superior

Em cada disciplina se cultive de acordo com os princípios que lhe são peculiares, com os seus próprio método e com a liberdade própria da investigação científica, de forma que se vá adquirindo uma compreensão cada vez mais profunda dessas disciplinas e, dando maior atenção a problemática e à investigação modernas, se consiga uma visão mais clara de como a fé e a razão convergem para a verdade única.

Os alunos poderão formar-se como homens verdadeiramente notáveis pela doutrina, preparados para desempenharem as funções mais importantes na sociedade e dando testemunho da sua fé no mundo.

A nossa presença no mundo universitário proporcionaria aos próprios intelectuais a oportunidade de se tornarem, por sua vez, evangelizadores do seu próprio ambiente.

As Universidades aõ laboratórios das elites de amanhã, que hão-de governar o Pais. Se os Governantes forem de convicções sadias, certamente que a vida da Nação será também qualitativamente mais sã.

 

Uma instituição o género se justifica pela necessidade de Moçambique se dotar de quadros qualificados, cada vez mais numerosos, formados no seu próprio meio ambiente (III Assembleia Nacional de Pastoral, Matola 205, Conclusões, nº 16).

Neste momento de reconstrução nacional e luta contra todo tipo de miséria rumo ao desenvolvimento global das pessoas e da sociedade, a Igreja quer contribuir de maneira construtiva para a realização de serviços de Ensino Superior em todo o Pais, sobretudo nas Regiões onde esses serviços de Ensino Superior são notavelmente escassos ou inexistentes, como é o caso da Alta Zambézia e dos dez Distritos abrangidos pela Diocese de Gurúè.

A Igreja quer oferecer uma oportunidade adicional de formação superior è população juvenil em contínuo crescimento que não pode receber atendimento adequado pelas instituições existentes no País.

Movida por essas necessidades e pelo sentido de profunda responsabilidade em contribuir para uma reconstrução e desenvolvimento mais equilibrados e simétricos  da sociedade moçambicana, inspirada nos ideias cristãos do desenvolvimento integral do homem (Cfr. Paulo VI: Populorum Progressio), e de serviço ao bem comum, a Diocese de Gurúè, após ter estudado o problema em diversas reuniões e encontros dos seus responsáveis (Colégio dos Consultores Diocesanos, Conselho Presbiteral e Assembleias Gerais e do Secretariado de Pastoral), tem trabalhado intensamente durante os três últimos anos para que se tornasse uma realidade o Ensino Superior nesta Região.

Esta celebração, com a qual inauguramos a Extensão da Universidade Católica de Moçambique na Diocese de Gurúè, tem em vista os docentes, o discentes e ainda todos os que de algum modo estão ao serviço da universidade, assim como a comunidade em cujo proveito ela é erigida

 

Gurúè, aos 14 de Abril de 2014.

+ Francisco Lerma Martínez

   Bispo de Gurúè

 

"Para consolar a todos los que lloran"
Is 61,2.