Categoria: I Nostri Dicono
Visite: 1926 volte

Os Missionários da Consolata, presentes na diocese de Inhambane desde 1946, fizeram neste Domingo, dia 23 de Junho, a entrega da Missão de São José de Mapinhane à diocese de Inhambane. Na celebração eucarística, o pároco cessante, P. Jorge Kirikinto, missionário da Consolata, fez a entrega das rédeas da missão ao P. Cleophas Mudita, Franciscano, novo pároco. A celebração foi uma acção de graças a Deus pelo trabalho realizado por gerações de missionários e missionárias da Consolata que trabalharam durante 66 anos trabalharam nesta Missão.

A Missão de Mapinhane foi criada por decreto em 1946, mas por falta de pessoal missionário não foi iniciada imediatamente. Hesitou-se muito quanto à escolha do local. A ideia era instalar a missão em Vilankulo, sede administrativa da circunscrição, mas dificuldades várias como a escassez de terrenos cultiváveis, de água e população determinaram a escolha de uma outra zona. Foi preferida a terra do régulo Mapinhane, a cerca de 40 km de Vilankulo e próxima da estrada nacional. Aqui encontravam-se os requisitos que faltavam em Vilankulo. No dia 24 de Março de 1947 chegavam à localidade de Mapinhane os padres Gabriel Quaglia e Alberto Maggiore, Missionários da Consolata, para dar início aos trabalhos de implantação da missão. Em Maio começava a funcionar a escola da missão, tendo como seu primeiro professor o senhor Rafael Jeane, de Massinga, que era também catequista. Em Outubro, o Pe João Tolosano deixa a missão de Nova Mambone para ser superior da missão de Mapinhane e é ele próprio que negoceia a abertura da escola em Muvamba e visita a região de Mabote, já no final desse ano. Em 1948 a missão de Mapinhane foi transferida para a actual sede, próxima da estrada nacional e passa a ser a missão central no conjunto das missões do Instituto da Consolata em Inhambane. Por esse motivo, no dia 23 de Outubro, o P.e Gabriel Quaglia, superior dos Missionários da Consolata e arcipreste, transferiu a sua sede de superior delegado da Missão de Massinga para Mapinhane.

Em termos pastorais a região de Mapinhane revelou-se inicialmente pouco prometedora. A população estava muito espalhada e demonstrava-se pouco disponível a acolher o Evangelho. Com os anos a Missão de Mapinhane foi crescendo e a evangelização foi avançando até regiões mais distantes com a abertura de novas escolas capelas. A sede da missão tornou-se um centro de desenvolvimento humano com as suas escolas e actividades profissionais, sobretudo a sua serração e carpintaria. Com a chegada das Missionárias da Consolata em 1966 melhoraram os serviços prestados no sector da saúde e na promoção da mulher. Os missionários de Mapinhane davam também assistência pastoral a Vilankulo, sede da circunscrição. Em 1966 foi criada a Paróquia de Vilanculos com território desmembrado da Missão de Mapinhane.

No pós-independência, com as nacionalizações e a guerra civil, a actividade missionária foi bastante condicionada. O trabalho de formação dos catequistas e animadores e a reorganização das comunidades eram a prioridade da equipa missionária. Em 1983, por motivos de segurança os missionários retiram-se para a Paróquia de Vilanculos e a missão de Mapinhane passou a ser assistida pastoralmente a partir de Vilanculos. Depois do Acordo Geral de Paz (1992), os missionários da Consolata iniciaram o trabalho de recuperação da missão. Deu-se prioridade ao sector da educação. Em 1995 foi criada a escola secundária Padre Gerardo Gumiero, confiada à direcção das Irmãs Agostinianas Missionárias que iniciaram nesse ano a sua actividade em Mapinhane. Esta escola, a primeira a ser criada na região norte da província de Inhambane, com os seus lares tem prestado um qualificado serviço na educação da juventude da província de Inhambane e de outras províncias de Moçambique. No trabalho de evangelização e na educação, colaboraram durante alguns anos os Leigos Missionários da Consolata provenientes de Portugal. Em Janeiro de 2013 procedeu-se à transferência da sede do Seminário diocesano de São Lucas da cidade de Inhambane para as estruturas da Missão de Mapinhane. Depois de um período dedicado ao conhecimento das comunidades e do funcionamento da missão, a equipa formativa do seminário – Frei Cleophas e Frei Francisco, assumiram também a direcção pastoral de Mapinhane.
Depois da missões de Maimelane e Muvamba,  Mapinhane é a terceira missão fundada pelos missionários da Consolata entregue à diocese de Inhambane.