Jan 26, 2022 Last Updated 10:26 PM, Jan 25, 2022

Coreia do Sul: Internet, arma de morte

Categoria: I Nostri Dicono
Visite: 1888 volte
{mosimage}No jornal “Korea Herald” do dia 30 de Outubro vinha uma notícia sobre 3 pessoas que cometeram suicídio dias antes. Ora, infelizmente este tipo de notícias não são raras aqui na Coreia, bem pelo contrário. Porém, esta continha um elemento muito particular: elas tinham-se encontrado através da Internet.

Ou seja, não se conheciam até ao dia em que se encontraram para cometerem suicídio. Tal evento foi destaque no editorial da edição do dia seguinte do mesmo jornal. Não há dúvida que vivemos numa sociedade extremamente estressante e competitiva.

Porém, é difícil compreender os motivos que levam anualmente cerca de 14.000 pessoas a cometerem suicídio aqui na Coreia, numa população de 48 milhões. De facto, os números têm aumentado de ano para ano a ritmo deveras impressionante, tanto que a Coreia é o país com a taxa de suicídios mais alta da ODCE (Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Económica). Em 2005, cometeram suicídio cerca de 38 pessoas por dia.

O caso mais recente é o de quatro pessoas, com idades compreendidas entre os 20 e os 30, que se encontraram num sito da Net e planearam cometer suicídio juntas. Após encontrarem-se num parque bem no centro de Seúl, três tomaram uma substância altamente tóxica, enquanto que o outro arrependeu-se no último momento, indo depois à polícia denunciar o caso, mas só após a morte dos outros três. Os motivos, descritos em pequenas mensagens, apresentavam, situações problemáticas: falência pessoal, divórcio eminente e tentativas falhadas de entrada na universidade.
Diz o editorial que as possibilidades de cometerem suicídio seriam muito menores se não tivessem conseguido encontrar “colegas de suicídio” na Net. Dado haverem mais casos de suicídio em grupo, as autoridades suspeitam que os chamados “sitos de suicídio” contribuem para o problema. Caso não encontrassem outras pessoas dispostas a cometerem suicídio, é muito provável que muitas outras desistiriam de o fazer.

A marca dos 10.000 suicídios por ano foi ultrapassada em 2003 e as tentativas de se encontrar uma explicação para o aumento abrupto deste fenómeno dramático são muitas e variadas. O mesmo editorial afirma que um factor é certamente a Internet, pois a Coreia é dos países onde o acesso à Internet è dos mais difundidos. Em 2005, um inquérito levado a cabo por uma organização de prevenção do suicídio revelou que 47% dos adolescentes e 38% de pessoas na casa dos 20 afirmaram terem visitado sitos suicida por mera curiosidade. Mas mais de 20% de cada grupo disse terem sido tentados a cometerem suicídio.

Certo, a juventude coreana não é diferente daquela de outros países ditos desenvolvidos, mas no meu ver estes números são não só alarmantes, como exprimem o quanto descontentes os jovens daqui estão com a vida e com “o sistema”. São o reflexo de uma sociedade profundamente destabilizada e um problema a que não pode ficar indiferente a nossa Igreja, bem como as outras religiões.

Recenti

IV Domenica del Tempo Ordinari…

25 Gen 2022 Domenica Missionaria

Il vescovo del popolo

Il vescovo del popolo

23 Gen 2022 I Nostri Missionari Dicono

Sinodalità e afrodiscendenti

Sinodalità e afrodiscendenti

23 Gen 2022 I Nostri Missionari Dicono

La chiesa in Amazzonia si gioc…

23 Gen 2022 Missione Oggi

Beati i miti, perché avranno …

23 Gen 2022 Preghiere Missionarie

III domenica del Tempo Ordinar…

18 Gen 2022 Domenica Missionaria

Finestre sul mondo

18 Gen 2022 Finestra sul Mondo

L'ospitalità quotidiana... co…

17 Gen 2022 Missione Oggi

Beati quelli che sono nel pian…

17 Gen 2022 Preghiere Missionarie

Seconda domenica del Tempo Ord…

12 Gen 2022 Domenica Missionaria