A DIOCESE DE GURÚÈ

Lerma-710092Caríssimos irmãos, amigos e benfeitores

Passado um ano da minha Tomada de Posse da Diocese de Gurúè, vos apresento uma visão panorâmica actualizada desta Igreja local.

Para começar eis alguns dados de obrigada referência.

 

I.- Generalidades.

Extensão de 42.450 km².

Habitantes: 2.000.000 de habitantes.

Católicos: 40% aproximadamente são católicos.

Outras expressões religiosas: igrejas evangélicas, nomeadamente Igreja de Cristo de Moçambique, União Baptista Universal, Testemunhas de Jeová e Adventistas do Sétimo Dia. O Islamismo encontra-se apenas no litoral, Distrito de Pebane.

II.- A Diocese de Gurúè

2.1 A Diocese tem actualmente 2.200 pequenas comunidades cristãs, organizadas em Zonas e Centros Pastorais que constituem actualmente 17 Paróquias, agrupadas em Quatro Regiões Pastorais. Cada Comunidade cristã tem à sua frente um Coordenador e vários animadores. Cada Zona tem um coordenador e ministros encarregados dos vários ministérios; e cada Centro tem um Conselheiro. Em cada Paróquia há uma equipe missionária residente composta por dois sacerdotes e, em seis paróquias, também por três religiosas.

2,2.Pessoal missionário:

2.2.1. Depois da ordenação de mais três sacerdotes no passado 12.06.11, os Padres Diocesanos do Gurúe são 33. Na Diocese trabalham actualmente 28 e fora da Diocese cinco, dos quais 2 nos Seminários Interdiocesanos de Quelimane e Matola; e três por motivos de estudo no exterior (Brasil, Itália e Espanha). TOTAL = 33 Padres Diocesanos.

Há também um sacerdote “fidei donum” da Diocese de Jujuy (Argentina).

2.2.2. Os sacerdotes religiosos são:

  • 5 Missionários do Coração de Maria (Claretianos).

  • 11 Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos);

  • 1 Monge da Pequena Família da Ressurreição. TOTAL= 17 Padres religiosos.

  • Há também um diácono dehoniano.

2.2.3. Irmãos Religiosos: 1 monge da Pequena Família da Ressurreição; 2 Irmãos Maristas. TOTAL= 3 Irmãos religiosos.

2.2.4. Irmãs Religiosas. Congregações: 5 Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição; 3 Irmãs de N.S. das Vitórias (Vitorianas); 3 Irmãs do Coração de Maria; 3 Irmãs de N.S. da Visitação (diocesanas de Quelimane); 3 Irmãs Missionárias Capuchinhas; 5 Irmãs Religiosas do Amor de Deus; 2 Irmãs Missionárias Mercedárias; 3 Irmãs de São Baptista; 3 Irmãs de Jesus Maria José; 3 Irmãs da Imaculada Conceição (Diocesanas de Lichinga) TOTAL= 33 Irmãs religiosas.

III.- A VIDA DA DIOCESE

3.1. Problemas económicos e sócias:

- Ao norte da Diocese, nos Distritos de Milange e Gurúe, os terrenos são riquíssimos para a agricultura: produção de milho, feijão manteiga, batata reno, bananas, tomate, cebola, alho e outras hortícolas e as grandes plantações de chá na área de Gurúe.

- Esta região da Alta Zambézia é rica em minérios (pedras preciosas e semipreciosas, tantalite, etc.), especialmente nos Distritos de Ile e Gilé. Há também abundância de árvores de madeira de alta qualidade,

- Há potencialidades turísticas na Reserva Nacional de Gilé; na área de Gurúe, altas montanhas, cascatas, o mítico Monte Namuli, a maravilhosa visão das plantações de chá e o clima agradável. O que falta são um mínimo de estruturas adequadas para atrair o turismo.

- Encontramos pobreza absoluta em algumas aldeias do interior dos distritos. As causas são múltiplas, por exemplo a seca sistemática em algumas regiões, o abandono dos cultivos tradicionais em troca de novos de dinheiro fácil e das empresas multinacionais (tabaco, biogénicos, etc.)

- A excepção dos da única estrada asfaltada Gurúe- Nampevo- Alto Molócue, as estradas dos sete distritos que compõem a Diocese ,numa extensão de 42.450 k2, são impraticáveis durante o período das chuvas (Novembro - Maio) e com muita dificuldade no tempo seco. Tudo isto dificulta a comunicação entre as pessoas e o escoamento dos produtos, criando novas bolsas de pobreza.

- Frequentemente as fontes de água estão longe estão longe das moradias e não há poços suficientes para as necessidades normais da população. Recorrem aos cursos de água que por ventura atravessam as populações, com grande risco para a saúde.

- A rede eléctrica cobre as sedes dos Distritos, num 10% da população total da Diocese. Mas grave ainda é a situação das comunicações por via telefónica, telefonia móvel, Televisão, que matem longe da informação e comunicação, completamente isolada a maior parte da população.

- Por outro lado, começam a sentir-se os problemas de desertificação já bastante avançada em alguns distritos, causada pelas queimadas tradicionais, corte de madeira incontrolado, introdução de certas espécies de culturas que prejudicam o solo e hão-de criar novas fomes e pobrezas no futuro próximo.

- Em toda a região, além do Hospital Rural de Gurúe e dos do Alto <Molócue e Gilé, o resto da rede sanitária é deficitária (as distâncias entre postos de saúde e maternidades e a residência das pessoas são enormes, os edifícios encontram-se em estado degradado, mobiliário inexistente, falta de medicamentos).

- Em condições semelhantes se encontra a rede escolar. Nos últimas décadas houve um crescimento significativo na implantação de escolas a todos os níveis em quase todas as aldeias e centros de maior concentração de população. Mas, tirada uma ou outra excepção os edifícios se encontram em muito mau estado de conservação e muitíssimos ainda são de construção precária. Na maioria dos casos, falta de mobiliário em condições. Há que notar a falta de deontologia dos professores (vocação e preparação professional, ausências prolongadas, acompanhamento dos alunos…). Além das Escolas Secundárias nas sedes dos Distritos, em todo o território da Diocese não existe nenhuma instituição de ensino universitário;

- É necessário denunciar que as nossas estradas principais são também corredor de tráfico humano em direcção aos países limítrofes, tendo como meta a África do Sul, especialmente migração clandestina, tráfico de pessoas para a prostituição e para o comércio de órgãos.

3.2 Estruturas física

3.2.1 Casa Episcopal

No terreno da Diocese existe apenas uma antiga casa familiar. Esta casa não tem as condições necessárias nem para receber qualquer hóspede, nem para os serviços diocesanos. É um edifício antigo, composto de uma sala, um escritório, dois quartos, um refeitório, uma arrecadação, e uma pequena cozinha. A casa foi construída com material tradicional: os muros estão rebocados com cal, areia e pouquíssimo cimento; e sem ferro (vigas e pilares).

3.2.2 Serviços centrais:

Não existe nenhuma estrutura nem para a Cúria nem para Secretariado de Pastoral nem para acolher os missionários, sacerdotes ou quaisquer hóspedes. A Diocese do Gurúè nunca pensou a sério na possibilidade de dar-se os edifícios mínimos necessários para o seu bom funcionamento.

3.2.3 Casas paroquiais:

As 14 casas paroquiais do clero diocesano (Pebane, Namarroi, Molumbo, Lioma, Gurue, Invinha, Ile, Alto Molócue, Mualama, Naburi e Mulevala) precisam todas elas de reabilitação (sistema hidráulico, instalação eléctrica, pintura, telhados, mobiliário, equipamento de escritórios).

Existem mais quatro Casas Paroquiais em completo abandono: Antigas Missões de Nauela e Alto Molócue (embora sob responsabilidade dos Padres Dehonianos) e Ilé e Moneia (antiga Missão de Gilé).

3.2.4 Casas das Irmãs

a) Existem Casas para as Irmãs em condições para serem habitadas nas Paróquias de Molumbo, Namarrói, Invinha, Mulevala, Gilé, Muiane e Pebane.

b) Em Gurúe, Lioma, Invinha, Ile, Milevane, Gilé, Ile e Alto Molócue as Congregações têm casas e obras próprias.

c) Casas das Irmãs que devem ser reabilitadas na totalidade, pois ainda se encontram es estado de abandono desde os tempos da guerra: Em Muliquela (Ile), Moneia (Gilé), Mualama (Pebane), Nauela e Alto Molócue (Missão).

3.2.5 Igrejas

13 das 16 Igrejas das antigas Missões precisam também de reabilitação urgente. Apenas se encontram em estado de conservação razoável: a Catedral, Namarrói, Pebane, Gilé e Muiane . A própria Catedral de Gurúè deve ser ampliada .

As restantes: Nauela, Lioma, Mulumbo, Invinha, Alto Molócue (antiga Missão e a igreja da sede), Moneia e Mualama, precisam de reabilitação urgente. Em Naburi nunca foi construída a igreja.

Faltam Igrejas em Naburi, Alto Molócue e Ile (sede).

3.2.6 Outras instalações.

Outras instalações: Centros pastorais paroquias, internatos femininos e masculinos (alguns foram restituído depois das nacionalizações, outros ainda não). A maioria encontra-se em estado de abandono e ruinoso: Naburi, Mualama, Nauela, Ile, Namarroi, Lioma, Mulumbo, Alto Molocue, e Invinha.

3.2.7 Em consequência

- os edifícios das Paróquias (igrejas, residências e outros) em estado precário e ruinoso esperam reabilitação urgente;

- os terrenos das antigas missões, improdutivos ou ocupados em grande parte pela população; devem ser recuperados urgentemente: necessidade urgente da legalização do bens imóveis (edifícios e terrenos), património da diocese;

- a necessidade de reabrir as paróquias ainda fechadas desde a Revolução e de criar novas paróquias;

- a escassez de meios de transporte e situação ruinosa dos existentes;

- a falta de estruturas centrais para o governo da Diocese: casa, escritórios diocesanos, lugar para encontros com o clero e demais agentes de pastoral e residência sacerdotal para o clero diocesano;

- a deficitária situação da economia diocesana, em dependência absoluta dos subsídios e projectos vindos do exterior, sem nenhum actividade económica de auto-sustentamento local nem nas Paróquias nem a nível da própria diocese;

- a situação económica e assistência sanitária e social do clero diocesano, um problema que merece ser considerado e encontrar uma solução a nível nacional.

3.3 Riqueza: as pessoas

- grande número de cristãos. Catecúmenos e comunidades;

- empenho dos leigos no cuidado pastoral que desempenham em cada um dos ministérios, mas falta-lhes formação de base sólida e específica para cada um dos ministérios;

- o bom número de padres diocesanos (28 a trabalhar actualmente na Diocese);

- o número de sacerdotes religiosos é bom (17 Padres religiosos), embora não seja suficiente para as necessidades actuais;

- O mesmo não podemos afirmar tratando-se da Irmãs. O seu número é escasso, apenas 33 religiosas. Mais da metade das nossas paróquias não tem Irmãs.

3.4. A pastoral

- A pastoral deve surgir da realidade humana, social e cultural em que se encontra o nosso povo. Partir da realidade, das suas ânsias, alegrias e tristezas. Dai a urgência de um estudo sócio-económico e cultural da sociedade concreta. Devemos ter em conta o que foi apresentada anteriormente quando falámos dos problemas económicos e sócias da diocese.

- A catequese é feita em cada uma das nossas 2.220 comunidades pelos animadores de base, mas a formação dos catequistas deixa muito que desejar. Devemos investir muito em pessoas, estruturas, subsídios e tempo para superarmos as deficiências que notamos na formação dos catequistas, na organização e na prática da catequese.

- Revitalização e requalificação do Catecumenado de Adultos e Catecumenado juvenil, tendo em conta o Ritual do Catecumenado, actualizando-o aos os contextos actuais.

- Uma outra lacuna neste sector é a falta de catecismos, livros e demais subsídios para a catequese, a liturgia, a formação, material que deve ser reelaborado e adequado ao nosso tempo (cultura, modernidade, situação histórica, social, documentos recentes da Igreja…).

- Verificamos que a pastoral juvenil deve ter em conta os desafios dos jovens de hoje com os seus problemas concretos: HIV/SIDA, gravidezes precoces, abortos, casamentos prematuros, , prostituição nos centros urbanos, e falta de una preparação adequada para o matrimónio;

- A pastoral vocacional está a dar bons frutos, tanto para a vida sacerdotal como para a vida religiosas. Actualmente temos 36 seminaristas frequentando os três anos do Seminário Propedêutico Interdiocesano de Quelimane; 11 no Seminário Filosófico Nacional da Matola; 6 no Seminário Teológico Nacional de Maputo. TOTAL: 36 seminaristas menores e 17 maiores.

 

- A pastoral familiar merece uma atenção particular: deve ter em conta a convivência familiar, o abandono do lar, a violência familiar, os divórcios, os “amantismos”, a poligamia, as separações, tráfico de pessoas na área da estrada nacional rumo aos países limítrofes e às grandes cidades.

- A formação a todos os níveis, a pastoral social nos sectores da Justiça e da Paz, na saúde, na migração e na educação, a sustentabilidade económica, a formação para cidadania, formam parte integrante como temas transversais do nosso plano estratégico para os próximos cinco anos

- Todo isto exige uma pastoral de conjunto, inculturada localmente, a nível diocesano e nacional que, na nossa recente assembleia diocesana, julgamos prioritária.

IV. Assembleia Diocesana de Pastoral:

Para fazermos frente a todos este desafios, de 8 a 12 de Março de 2011, realizamos a VI Assembleia Diocesana de Pastoral , com os seguintes temas nucleares:

  1. Comunhão Diocesana

  2. Evangelização e catequese

  3. Formação dos agentes de Pastoral

  4. Sustentabilidade económica.

Encontramo-nos na fase de implementação das Conclusões, com a reorganização do Secretariado Diocesano de Pastoral e das Comissões Diocesanas.

Na realização destes grandes projectos e de todo o nosso Plano Pastoral, contamos com a vossa comunhão na partilha de dons espirituais e matérias, na comunhão entre as Igrejas, a exemplo das comunidades dos Actos dos Apóstolos.

 

Anunciarão a minha glória às nações

Fraternalmente

+ Francisco Lerma Martínez

Bispo de Gurúè (Moçambique)

Ultima modifica il Giovedì, 05 Febbraio 2015 20:29

Gli ultimi articoli

San Giovanni Battista, un uomo secondo il cuore di Dio

24-06-2024 I Nostri Missionari Dicono

San Giovanni Battista, un uomo secondo il cuore di Dio

Pubblichiamo la riflessione tenuta da padre Innocent Bakwangama questo lunedì 24 giugno presso la Casa Generalizia a Roma, IMC, durante...

Il Santuario della Consolata di Sampacho, in Argentina, diventa Basilica

23-06-2024 Notizie

Il Santuario della Consolata di Sampacho, in Argentina, diventa Basilica

Il cardinale Ángel Sixto Rossi, SJ, ha presieduto la Messa in cui il Santuario di Nostra Signora della Consolata a...

Corea del Sud: Giornata di preghiera per la riconciliazione e l’unità nazionale

23-06-2024 Notizie

Corea del Sud: Giornata di preghiera per la riconciliazione e l’unità nazionale

Il 25 giugno è la Giornata di preghiera per la riconciliazione e l’unità nazionale che la Chiesa coreana celebra dal...

Zio e nipote: Cafasso e Allamano

23-06-2024 I Nostri Missionari Dicono

Zio e nipote: Cafasso e Allamano

Lettura parallela della spiritualità di due uomini di Dio Il Beato Giuseppe Allamano iniziò da giovane una graduale scoperta della santità...

Festa della Consolata con un sapore afro-colombiano

23-06-2024 I Nostri Missionari Dicono

Festa della Consolata con un sapore afro-colombiano

Per i Missionari della Consolata il 20 giugno non è un giorno qualunque ma è la celebrazione della festa della...

XII Domenica del TO / B - “Passiamo all'altra riva"

22-06-2024 Domenica Missionaria

XII Domenica del TO / B - “Passiamo all'altra riva"

Gb 38, 1. 8-11; Sal 106; 2 Cor 5, 14-17; Mc 4, 35-41 L’esperienza dolorosa della sofferenza alquanto assurda e ingiustificata...

Bolivia. «Noi conosciamo l’Amazzonia. Ascoltateci»

21-06-2024 Notizie

Bolivia. «Noi conosciamo l’Amazzonia. Ascoltateci»

L’XI riunione del Foro social panamazonico (Fospa) Foresta pluviale e fiumi, ma anche 2,5 milioni di specie animali, 40mila specie floreali...

Maria Consolata, mistero d'amore e di vita...

21-06-2024 I Nostri Missionari Dicono

Maria Consolata, mistero d'amore e di vita...

Maria di Nazareth, lì mi piace ricordarti, nella vita di tutti i giorni,nel lavoro e nella cura,nella casa e nella...

Festa della Consolata: “Non hanno più vino”... “Fate quello che vi dirà”

19-06-2024 I Nostri Missionari Dicono

Festa della Consolata: “Non hanno più vino”... “Fate quello che vi dirà”

Messaggio del Superiore Generale, padre James Bhola Lengarin “Tutti abbiamo gioito, il 23 maggio scorso, alla notizia del riconoscimento del miracolo...

onlus

onlus